Arquivo de abril \20\UTC 2010

[MST] Marcha Feira-Salvador é parte da Jornada Nacional de Lutas pela Reforma Agrária

Cartaz da Jornada de Lutas 2010

Mais de cinco mil trabalhadores rurais Sem Terra devem participar da marcha de Feira de Santana a Salvador, que acontece entre os dias 19 e 26 de Abril. A marcha pretende chamar a atenção dos governos e da sociedade para a urgência da Reforma Agrária no Brasil, bem como para as recentes e reiteradas tentativas de criminalizar as lutas sociais no país.
Na Bahia, o movimento sofre com o atraso no processo de assentamento das mais de 25 mil famílias acampadas debaixo de lona preta. A falta de funcionários no Incra, a burocracia no licenciamento ambiental e a falta de empenho dos governos federal e estadual emperram a Reforma Agrária no estado.
Pautas negociadas em marchas anteriores ainda estão à espera de cumprimento, como assistência técnica, crédito e infra-estrutura (luz elétrica, construção de casas, estradas e escolas) nos cerca de 120 assentamentos das 9 regionais do MST no estado.

Marcha
Atividade integrante da Jornada Nacional de Lutas por Reforma Agrária 2010, a marcha contará com várias atividades artísticas e educativas, além de atos em parceria com outros movimentos sociais, nas cidades e comunidades por onde passará. Os Sem Terra percorrerão mais de 100 km pela BR 324, em sete dias de caminhada. Após as longas caminhadas da manhã, haverá cursos de formação política, oficinas de arte-educação e rodas de capoeira. O Cinema da Terra fará a exibição de diversos filmes que retratam a luta e a cultura dos povos, e os artistas da Reforma Agrária farão pequenas apresentações para animar as noites culturais e a caminhada. A Rádio Livre MST fará transmissões ao vivo, com informes e entrevistas.
Como parte das ações da Jornada, o movimento realizou neste mês cerca de quinze ocupações, até o momento. Pelo menos o dobro de ações são esperadas até a marcha.

Ocupações MST Bahia – Abril vermelho – JORNADA DE LUTAS 2010

Do portal do MST

Sem perdão: 46 anos do golpe fascista!

semperdao08

Intervenção urbana da Resistência Popular, abril de 2010.

Há 46 anos, em 1° de abril de 1964, era instaurado através de um golpe civil-militar fascista o regime de terrorismo de Estado no Brasil. A Ditadura Militar, que durou cerca de 20 anos e adotou as torturas, os sequestros e os assassinatos como práticas institucionais. A abertura dos arquivos da Ditadura Militar e a punição dos torturadores, ainda são dívidas da “democracia pirata” que existe no Brasil e de um Estado que ainda pratica a tortura.

A mídia burguesa, que hoje se apresenta como paladina da “democracia” e da “liberdade de expressão” trazia as seguintes manchetes sobre o golpe fascista de 1° de abril de 1964:

“Fugiu Goulart e a democracia está sendo restaurada (…), atendendo aos anseios nacionais de paz, tranqüilidade e progresso (…). As Forças Armadas chamaram a si a tarefa de restaurar a nação na integridade de seus direitos, livrando-a do amargo fim que lhe estava reservado pelos vermelhos que haviam envolvido o Executivo Federal." O Globo, 2 de abril de 1964.

“Desde ontem se instalou no país a verdadeira legalidade(…). Legalidade que o caudilho não quis preservar, violando-a no que de mais fundamental ela tem: a disciplina e a hierarquia militares. A legalidade está conosco e não com o caudilho aliado dos comunistas.” Jornal do Brasil, 1º de abril de 1964.

Como sempre, eles foram “imparciais”.

Veja mais imagens no albúm Centro do Povo.


Cadastre-se e receba as atualizações do blog em seu e-mail. Após o cadastro confirme no seu e-mail. Contra-informação na Feira de todas as lutas e sonhos de libertação!

Junte-se a 10 outros seguidores

visitas

  • 12,995 leitores!